terça-feira, 23 de novembro de 2010

Falando naquilo...

Caro leitor internauta, que saudades de escrever!! Embora os assuntos sobrem nos rascunhos, falta tempo para estar aqui postando e retribuindo a sua atenção comigo. Peço desculpas e agradeço o carinho. Eu mesma fico chateada por ter que priorizar outras koisas. Andei reparando em como caiu o número de postagens ao mês desde que criei o blog. Felizmente o trabalho e os compromissos aumentaram e, em consequência disso, infelizmente tenho tido menos tempo para postar. Mas vamos lá. Há séculos tenho vontade de falar 'naquilo' com a seriedade que o assunto merece.

Mas 'naquilo' o que? É isso mesmo, caro leitor internauta. Hoje falaremos de sexo! Aha, gostou, né? Pois é, sexo! Está aí um tema que sempre desperta curiosidade, polêmica e tabus... principalmente quando se refere aos 'malacabados'. É tipo assim 'todo mundo faz, mas é feio falar'. Que bobagem! Não faz muito tempo as pessoas pensavam que os deficientes eram, inclusive, assexuados. Um engano. Você pode ter frigidez, falta de desejo ou importência sexual sem ter uma deficiência. Concorda? É óbvio que os 'matrixianos' têm libido e vida sexual ativa. Por que não? Não importa se é cadeirante, surdo, cego, andante, lesionado ou com defeito de fábrica (tipo eu), os deficientes também fazem sexo, ué. Isso é tão óbvio para mim que não entendo tanta discussão e diferenciação. Não há 'normalidade' para o sexo. Com os 'matrixianos' é do mesmo jeito que é com todo mundo. Talvez não dê para realizar todas as posições do Kama Sutra, é verdade... mas dá para tentar de outros jeitos porque a questão do prazer é igual para todos. Aí você vai descobrir com seu partner qual é a melhor forma. Não há o meu beijo e o seu beijo, há o nosso beijo. Não há o meu jeito e o seu jeito, há o sexo que fazemos juntos, a dois. Dois que se transformam em um! Quer que eu desenhe? Melhor não... risos. Cada um tem suas limitações e preferências, independente de ser 'normal' ou não. Eu, por exemplo, não me vejo diferente das outras pessoas, nem no sexo. Eu amo e desejo como todas as outras mulheres. Todas nós, mulheres, nos preocupamos com a celulite, com a depilação, com os quilinhos a mais, com isso, com aquilo... nos preocupamos em caprichar na hora do 'espetáculo', etc (e a maioria das paranóias é uma besteira). É ou não é? São dúvidas e incertezas comuns. Assim como os homens também devem ter as inseguranças deles. Claro que há deficientes que possuem algumas partes do corpo com menos sensibilidade, é o exemplo dos paraplégicos e tetraplégicos. Como eu não tenho essa característica (lesão ou falta de sensibilidade), fui ler a respeito para não falar besteira aqui para você, caro leitor internauta. E, olha só, eu aprendi muito. Você sabia que homens para ou tetraplégicos podem ter ereção e, em alguns casos, até a ejaculação? E você sabia que algumas mulheres na mesma condição podem ter o aumento da sensibilidade na parte interna do órgão genital? Nesses casos, as pessoas descobrem o prazer em outras artes do corpo, antes não exploradas. Fantástico!

Daí eu estava aqui concentrada escrevendo e pensei que também devem existir motéis adaptados. Aliás, por falar em motel, eu lembrei que em um dos dias de curso lá em São Paulo, em setembro, estávamos paradas no trânsito, caos total na hora do rush, e eu olho para o lado e vejo um motel. Primeiro que acho engraçado porque Sampa é enorme, tem muitos motéis e é tudo no meio da cidade mesmo (e tem cada nome bizarro!) - por aqui, em cidade pequena, os motéis são 'escondidos', longe do centro, lá na BR, até porque, se fosse no meio da cidade, com certeza haveria um vizinho seu de plantão no portão bisbilhotando a sua vida sexual. E, segundo, achei cômico porque tinha escrito numa placa enorme: 'Suites com karaokê'. Eu dei um grito dentro do carro: 'Caraaaaaaaaaca! Karaokê? Pra quê?'. Renata e Denise morreram de rir porque eu não entendi qual é a finalidade de ter um karaokê num motel. Será que o dono é japonês? Geralmente eles curtem um karaokê, né? Não sei, mas imagine a guria dizendo: 'Amado, cante Amado Batista pra mim!', ou então o cara: 'Thutchuca, cante Ilariê pra mim... sem desafinar!'. Credooooooooooooo! Que horror! Mas então, há sim, empresários que pensaram nessa demanda (os deficientes, não nos cantores... risos). Pesquisei e vi que no Blog Mão na Roda tem uma lista de motéis acessíveis, segue o link: http://maonarodablog.com.br/tags/motel-adaptado/ . Muito legal!

Para que você tenha uma vida sexual ativa, saudável e sem tabus, você precisa se aceitar como é. Seja você alto, baixo, gordo, magro, preto, branco, azul, amarelo, oriental, ocidental, 'matrixiano' ou não. Se você não se gostar, ninguém mais poderá fazê-lo. É clichê, mas é a verdade. Se você também é 'malacabado(a)' como eu e/ou tem um monte de receio, aceite-se. Se você tem curvas tortas, celebre sua diferença. Você é único(a) e inesquecível por si só. Descubra a beleza que há em você. Seja criativo(a), inove, permita-se! E, por fim, se o cara ou a guria não quer ficar com você pelo simples fato de você ter uma deficiência, então desencane logo porque essa pessoa não merece estar com você e esse é um problema dela, não seu. O prazer não está exatamente ligado à forma (perfeita), transcende a materialidade do corpo. Tem a ver com qualidade de conteúdo, amor, paixão, desejo, pele, cheiro, gosto, respeito, carinho... tudo junto e misturado, ou fora dessa ordem (estou aprendendo isso). Faz bem para a pele, para o cabelo, para cada célula, para o ego, para a alma! E para o sexo ser bom não é preciso ser atleta, mas sim talentoso(a). Então aceite-se, ame-se, cuide-se, relaxe e goze. Seja feliz!

Na foto acima: Cléo Pires (sortuda!) e o ex-BBB Fernando em sua cadeira de rodas (que ficou paraplégico num acidente de carro). Morri, né? Lindo demais o cara!

Beijos.

9 comentários:

  1. Dia desses lia a história de Fernando e fiquei de boca aberta, sabia que ele foi campeão mundial de canoagem? O primeiro brasileiro nessa categoria, é bom ressaltar, acho que poucos sabem disso. É muito legal a trajetória dele depois do acidente de carro, tornou-se campeão e se diz realizado tanto quanto estava sem cadeira de rodas. Uma história comovente e de superação. És um exemplo e tanto. Adorei o conteúdo do post Karla, acho que o que importa mesmo é o prazer que ambos vão sentir, e se tem mesmo amor, isso é muito o de menos com que o parceiro vá se preocupar, acho que não tem nada a ver. Sexo é igual pra todos, o prazer enfim, não há diferenças.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Karla Kerida, como psicóloga você sabe que sexo é muito complicado para todo mundo...hehe. Quando conseguirmos falar assim abertamente, a vida vai ser mais tranquila.
    Todo mundo deveria ter aulas sobre este tema, não?


    BEIJOS

    ResponderExcluir
  3. Muito bom, vc sempre acerta no assunto.
    Temos mesmo é que falar das coisas boas da vida, as pessoas escondem tanto, mas sexo é tão normal, se não fosse ele ninguém nasceria.
    Bjo amiga, adorei. Manu

    ResponderExcluir
  4. Você tem razão,,,,muito bom, ter coragem pra falar nesse tema, é porque você é muito segura,ainda existem pessoas que fogem quando falam nesse assunto. Gostei. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Prima toda a forma de amar vale a pena temos que nos aceitar e amar primeiro para podemos ter e ser para alguem bjosso amei

    ResponderExcluir
  6. Oii Kaká!!! Vim retribuir o carinho... hehe Nossa, adorei o post, é isso ai aceite como você é, relaxe e goze rsrsr (Odeio esse tabu, só porque você não anda ou possui uma deficiência não quer dizer que os desejos não sejam aflorados) Quem perdem são as outras pessoas de não conhecerem pessoas maravilhosas como nós... haha

    Já sou sua seguidora tbm!!
    Bjos ;)

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. NOSSA! Ele ficou paraplégico? Caracas... dessa eu nao sabia!

    (como sou desinformada)

    ResponderExcluir

Deixe suas Koisas aqui também... obrigada pela visita!