sábado, 14 de agosto de 2010

Piccola Pizza - Dica de Acessibilidade

Noite de domingo, hora do jantar. Hora nem lembrada por mim, Rubia e Jeovana, já que a gente não pára de falar e perde a noção do tempo quando se junta. A gente perde até a fome, porque assunto e piada tem de sobra. O que faríamos, então? Ninguém decidia nada e o marido da Ru deu uma idéia: atravessarmos a rua e irmos comer pizza. Ótimo, todo mundo precisava mesmo dar uma caminhada depois de tanta comilança no aniversário do Lucas. Descemos todos juntos. No prédio da Ru há acessibilidade, a rampa lá é muito bem feita. Até aí tudo certo até chegarmos na esquina: a guia não era rebaixada. Que beleza! Atravessamos a rua até o canal e nesse, sim, havia uma calçada com rampa (íngreme feito o Pelourinho, mas tinha). E essa era só metade do caminho. Faltava mais uma rua e a calçada da pizzaria que também não era rebaixada (como você pode ver na foto). Mas que adianta então fazer rampa numas e noutras não, hein dona Prefeitura de Santos? Aquele exercício todo ia realmente ajudar na minha digestão. Foi um sobe e desce danado. Quando cheguei na porta do restaurante, fiquei muito contente. Mais empolgada do que noiva virgem em noite de núpcias. As duas entradas eram com rampas! Entramos pela porta lateral (essa da foto abaixo). Achei tudo um capricho só, pois obriga todo mundo a usar as rampas. É bom que se acostumem mesmo, já que nós, 'matrixianos', dominaremos o mundo, segundo o ilustríssimo Jairo Marques... risos.

Pois é, que bom seria se todos os estabelecimentos, públicos e privados, contassem com essa 'estrutura consciente'. Outro dia fui num pet shop aqui em Garopaba com a Graciele (minha amiga fisioterapeta que você já deve conhecer de outros posts) para comprar ração para os gatos dela. Gente, o degrau da porta era gigante, uma verdadeira ofensa a qualquer joelho remendado tipo o meu, mas até que não foi tão dramático para entrar. O problema seria na saída, já que eu discordo totalmente de que 'pra baixo todo santo ajuda', só se for o Santo do Empurrão porque para mim é bem mais difícil descer do que subir um degrau alto. Veja bem, caro leitor internauta, eu fico indignada com essas koisas, mas também tenho receio de virar uma ativista-radical-e-chata, já que não suporto gente reclamona e encrenqueira. É ridículo ter que 'implorar' senso de responsabilidade dos outros quanto à acessibilidade, tanto quanto é ridícula a falta de consciência de quem arquiteta obras assim. Em contrapartida, também não acho certo cruzarmos os braços e fingir que sabemos levitar para entrar em lugares como aquele. Nas minhas práticas, a grande sacada é colocar o humor, porque acredito que quando você consegue rir da própria desgraça, significa que está pronto para enfrentar qualquer obstáculo... risos. Então qual seria o protesto naquele pet shop? Acredite: a Graci fez um 'sub-degrau' com os dois pacotes de ração para eu poder sair dali. Vendo aquela cena cômica, tenho certeza que o cara do pet shop ficou constrangido e entendeu o recado, mesmo que eu não tenha dito nenhuma palavra.

Ah, a Piccola Pizza eu recomendo... não só pela acessibilidade, mas também pela ótima comida.

Endereço: Rua Minas Gerais, 57 - Boqueirão (canal 5) - próximo ao Sesc de Santos.

* As fotos dessa postagem foram tiradas pela Jeovana.
Próximo post: Restaurante Tahiti (Guarujá) - Dica de Acessibilidade.

3 comentários:

  1. já te teclei do quão bacana é o seu blog, chica morena?

    *feliz final de semana...

    besitos.

    ResponderExcluir
  2. Oi, vou te mandar o email sim... daqui a pouco. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Que criativa a Graci!

    Beijo Kaka...

    ResponderExcluir

Deixe suas Koisas aqui também... obrigada pela visita!