quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Voltando Para Casa

Olá, caro leitor internauta! Como vai?

De fato ficarei devendo o post com os comentários sobre os dois dias que passei na casa da Renata e do Márcio no Guarujá, e do Restaurante Tahiti. Já me conformei com essa espera e elaborei esse luto... risos. Assim que eu receber as fotos, venho correndo escrever. Por hoje vou pular para os últimos dois dias que fiquei em Santos, na casa da Rubia. Aviso, antecipadamente, que o texto é longo e não culparei você caso encha o saco e não consiga terminar de ler. Vamos lá! É engraçado (para não dizer triste), mas na véspera de vir embora eu sempre fico meio ansiosa, meio chateada, meio cara de 'cachorro sem dono'. Ainda bem que a Jeovana passou o fim de semana lá conosco e as meninas da faculdade resolveram me visitar. Como a Rubia precisou ir numa reunião, eu e a Jeo bancamos as anfitriãs até que a dona da casa chegasse. Quando a campanhia tocou, eu ainda estava no quarto me arrumando. Terminei a emperequetação e me deparei com uma cena cômica: Jeovana dando uma geral na cozinha e fazendo a Carol varrer o chão. Um 'Quê isso?' foi instantâneo, caro leitor internauta. E Jeovana fez eu jurar de pés juntos que eu não ia contar para a Rubia que ela havia colocado a visita (Carol) para dar uma 'forcinha'... risos. Mas eu, como não juro nada, acabei de contar... risos. Desculpa aí, Jeo! Também te amo, tá?... risos.

Um pouco depois chegou a Letícia, gravidíssima, cheia de planos e alegria com a vinda do bebê. Aliás, você pode reparar na foto o gurizão que beijei nessa viagem: o Luiz Henrique ainda na barriga da mamãe... risos. Muito bom ver minhas amigas bem, todas trabalhando e felizes. Já era noite quando as meninas foram embora, então eu, Jeo e Ru resolvemos buscar bolinho de bacalhau no Bar do Toninho (recomendo!). Quer dizer, elas foram e eu fiquei porque se eu também fosse andando demoraríamos o dobro do tempo e a fome era urgente. Ficamos ali, na varanda, nós, os bolinhos e alguns pastéis (dessa vez tinha embalagem para levar para casa... risos). Por pura falta de atenção não vimos o Neymar e a equipe da Globo entrar no portão para gravar o Profissão Repórter, já que ele é vizinho da Ru. O que será que bebemos naquele dia, hum? Bom, não lembro. Jeovana capotou cedo e eu e Ru tagarelamos madrugada adentro. Quando estou lá, não quero dormir nunca. Quero aproveitar e 'viver tudo que há pra viver...', como diria o Lulu Santos. Aliás, eu descobri que detesto dormir. Durmo por uma questão fisiológica e cada vez menos. Mesmo que tenha tenha um dia bem corrido, mesmo que eu chegue em casa às 6h da manhã, no máximo, até às 9h já estou de pé. Em dias de trabalho eu durmo bem tarde e acordo antes das 7h. Reconheço que dormir é uma necessidade do corpo, mas na verdade acho uma perda de tempo. Então fui dormir todos os dias lá pelas 3 ou 4h da manhã. Teve um único dia que dormi mais cedo, me recostei no travesseiro e no meio da conversa com a Ru e a Jeo, eu peguei no sono. Eu estava muito exausta de dormir tantos dias tão tarde... acordei no outro dia com outra roupa. As gurias vestiram o pijama em mim e eu no maior sono, parecendo defunto, né? Porque não vi e não lembro de nada. Isso nunca aconteceu antes, juro!... risos.

Voltando àquele sábado, o jeito foi deixar a bagagem pronta porque no outro dia a ida era inevitável. Me dá uma doooooor no coração ter que fazer a mala. Fui carregando as roupas pra cá e pra lá, guardando as koisas do banheiro, etc. Embora meu voo fosse só às 18h de domingo, era preciso sair cedo, devido o fim das férias não só minhas, mas de todo mundo. Imigrantes lenta e aeroporto lotado. Lotado mesmo. Muita confusão, um verdadeiro caos, como você deve ter visto no Jornal Nacional, na época. Pois é, eu estava lá naquele fuzuê todo. A fila de prioridades no check-in não foi respeitada em nenhum momento e até fotografei para compartilhar a minha indignação (foto abaixo). Tive, inclusive, que dar uma segurada na Rubia porque ela estava prestes a ter um chilique de tão brava... risos. Por sorte (e precaução), chegamos cedo na fila e deu tempo de sobra de fazer o check-in e ir para a sala de embarque com tranquilidade. Essa é a pior hora: quando fico naquela porta de embarque e tenho que me despedir. Dessa vez eu não chorei... Rubia me aconselhou a engolir o choro para não estragar a maquiagem... risos. E, como eu não queria viajar feito um urso panda, com os olhos pretos borrados de rímel, aguentei firme.

Foram duas horas de atraso do meu voo, mas era um problema da Gol e causou atraso generalizado. Naquela espera eu ajudei uma senhora a fazer um interurbano no celular, conversei com uma moça que havia quebrado o joelho e estava indo se operar no Rio (eu sei bem como é dor no joelho... risos), tentei consolar um garotinho de 6 anos que estava voltando para o Rio sozinho, para a casa da mãe e que havia passado as férias na casa do pai, em São Paulo. O menino chorava muito. Nessa hora respirei aliviada que não tive filhos. Ah, vi também o time do Flamengo e um apresentador da Record (que não sei o nome). Mas é claro que os perrengues ainda não tinham se esgotado. Na hora do embarque, na porta do avião, os funcionários não sabiam que eu não subia escadas, ou seja, o equipamento (lift) não havia sido preparado. Mas que beleza! A mocinha da Gol ainda disse para mim: 'Tá brincando!'. Oxi, e eu lá sou mulher de brincar com koisa séria? E você pensa que me desesperei? Não, aquilo não era problema meu. Avisei 'as circunstâncias' em 3 etapas da viagem: compra das passagens, check-in e balcão de prioridades. Logo: a Gol que se virasse. Um funcionário muito querido (todos são) disse que seria molezinha me embarcar, pois sou pequena e magra... risos. Eu não tinha outra saída a não ser acreditar nele, certo? E estava um frrrrio terrível naquela pista... frio esse que serviu para eu ir entrando no clima aqui do Sul novamente. No avião sentei ao lado de uma senhorinha muito tri, dona Marli. Conversamos sem parar. Ela ficou muito sem graça para fazer a pergunta básica: 'O que aconteceu com você?'. Acho engraçado como as pessoas se constrangem para perguntarem sobre minha deficiência, ou para saber o que faço e o que não faço. Estou muito acostumada e não tenho grilo algum com isso. Graças aos meus pais, sou muito bem resolvida com essa questão. A verdade é que ninguém é obrigado a saber dos meus limites e qual o melhor jeito/hora de me ajudar em alguma koisa, então não tenho porque me incomodar com isso. Sei que a intenção é sempre boa. Além do mais, creio que a única forma de quebrarmos tabus, é tratar do assunto com leveza e desprendimento. Certo? E não é que a tiazinha não acreditou que eu estava viajando sozinha? Disse que me achou muito simpática, bonita e corajosa... risos. Até parece! Ah, e me convidou para visitá-la qualquer dia desses em Portobelo. Eu vou mesmo, hein dona Marli?

Em Floripa, já estava a Stair-tac e um funcionário da Gol me esperando na pista. O moço, Rafael, mas que poderia ser chamado de 'Deus-grego', perguntou se eu já havia usado a cadeira elétrica. Respondi que sim. Então creio que eu era a veterana e ele o calouro na ocasião. Estava um frio absurdo em Floripa e o uniforme de inverno da Gol por aqui é um sobretudo preto até as canelas. Nooooooooossa, quando vi aquela 'tetéia' me aguardando eu pensei: 'Jesus, me leva que tô pronta!'. O cara era meio Keanu Reeves no Matrix, meio Clark Kent (o Superman), só não tinha barba (que pena). Mas vamos voltar à descida do avião. Nessas horas eu viro a atração do aeroporto. Noto que corre todo mundo para os vidros do saguão para ver a 'picurruxa' aqui descer com aquela geringonça. Muito chique... risos. E dali seguimos eu e ele andando para pegar a mala. Como não poderia deixar de ser, bati o maior papo com o moço que é estudante de Engenharia Civil e avaiano feito eu. Mesmo eu tendo atrasado, meu pai também não havia chegado ainda para me buscar em decorrência dos congestionamentos (aqui também era fim de férias). Eu disse para o Rafael que esperaria sozinha, mas ele fez questão de me fazer companhia. Não reclamei, né? No caminho para casa fiz uma retrospectiva: fiquei lembrando do dia que tomamos Martini até 5h da manhã; das nossas risadas vendo os vídeos do Felipe Neto e da Nossa Senhora do Offline; do dia em que a Rubia ficou passando o dedo num prato ao lado do notebook achando que era o mousepad e ainda ficou brava porque a setinha não se mexia... risos; do aniver no Splash Boom (sem comentários); do meu fotógrafo preferido, Fabrício; do telefonema surpresa do Renatão dizendo 'Tô passando aí pra te ver!'; das palhaçadas e teses amorosas do André e do Márcio; dos quinhentos mil churrascos que fizeram na Renata em apenas dois dias; da empolgação do gerente do Tahiti ao saber que eu os recomendaria aqui no blog; do choro meu e da Ru vendo o filme 'Um Sonho Possível' (duas bobas... risos); do dia em que eu passei mal (mesmo) de tanto rir com a Ru; da noite em que a Jeo acordou para medir minha febre e me dar xarope; dos conselhos hilários da Marcela; dos ótimos papos com a Carla e a Andréa (primas da Renata); dos almoços e gentilezas do Lucas (filho da Ru); do dia em que entendi tudo sobre abate de boi conversando com o Laerte; da visita da Di (florzinha); das pessoas que sempre conheço nos aeroportos; e do quanto é maravilhoso ter amigos verdadeiros. Esses me dão a certeza de que sempre vale a pena voltar!

Amo demais todos vocês, amigos!

Beijos no coração, queridos. 

3 comentários:

  1. "Komentários":
    "Desculpa aí, Jeo! Também te amo, tá?... risos." -> QUE IRÔNICA! haha

    "Aliás, eu descobri que detesto dormir." -> Ah, que bom que tu descobriu isso. És das minhas...rs, - Dormir é para os fracos! Total perda de tempo!!

    "As gurias vestiram o pijama em mim e eu no maior sono, parecendo defunto, né?" -> COISA DE LOUCO hein Kaka, caracas...

    "Rafael, mas que poderia ser chamado de 'Deus-grego'" -> Tem sempre uma vítima né Kaka, rsrs.

    "visita da Di (florzinha)" -> Haha, "Di florzinha"

    Éééééé... a "festa" acabou, mas vai começar logo mais.

    VOLTA LOGO KAKAAAA, Beijos!!

    ResponderExcluir
  2. Oi minha querida Avaiana, vc esqueceu de comentar o quanto ficaste tímida em nosso encontro, rsrsrsrsrs. Bochechas rosadas e faltando palavras, pode? Ainda mais vc que tão faladeira no msn. Tagarela mesmo!!!
    Tô brincando amiga, adorei ter te conhecido pessoalmente e, espero revê-la o qto antes.
    Bjão

    ResponderExcluir
  3. Piriquita do meu S2......Adorei saber que gostou da viagem.....fiquei super emocionada de ver nossa foto (eu vc e o Luiz, claro).....quase chorei.....(koisa de grávida rsrsrs)......Adoro ler seus posts, e saber que mesmo longe estamos perto........

    Bjokas de nós "2".....com muito amor!!!!!

    ResponderExcluir

Deixe suas Koisas aqui também... obrigada pela visita!