quinta-feira, 22 de julho de 2010

Entre a Vitrine e a Consciência

Outro dia vi uma bolsa numa vitrine. Era a bolsa mais linda e pequena que já vi. Marrom com rosa, delicada, prática e proporcional à minha (baixa) estatura. Loja de marca, chiquetérrima, dessas que você não vê as etiquetas e os preços pendurados. Mesmo assim, resolvi entrar e perguntar quanto custava a belezura (não é essa da foto). A atendente, muito simpática (óbvio), se dirigiu ao computador para conferir o preço. Nesse intervalo, vi uma outra bolsa na prateleira: roxa, bem grande, maravilhosa - essa tinha preço, custava R$ 210,00. Pensei com meus botões: se aquela ali é da mesma marca, enorme e custa R$ 210,00, então aquela outra que curti vai custar bem menos, pois tem trocentas vezes um tamanho menor. HA-HA-HA, de onde tirei essa analogia entre valor e tamanho, caro leitor internauta? Não sabe? Nem eu. Mas a mocinha voltou e revelou o valor da 'tetéia': ´Custa só R$ 420,00', ela disse. Só? Como assim 'só'? Fiquei pasma ao perceber a 'facada' que a moça queria me dar... risos. Senti uma pontada nos bolsos e uma tontura quase de labirintite com o discurso que ela fez para me convencer a levar aquela bolsa minúscula-e-caríssima, só porque era da Triton. Os marketeiros e amantes da moda vão querer me matar, mas e daí que a bolsa era da Triton? É lógico que não comprei a bolsa. Meu Superego gritou comigo, me senti fútil e constrangida com a constatação posterior: enquanto ela falava dos procedimentos de costura e confecção da peça, eu fiquei pensando que há famílias de 5, 6 pessoas que VIVEM com R$ 420,00. Há pais que mantém suas casas e seus filhos com menos de um salário mínimo. E que há quem nunca tenha recebido tanto por sua mão-de-obra. 

Então você deve estar pensando: '... mas o que temos a ver com isso? Sorte daqueles que podem comprar a tal bolsa sem precisar perguntar quanto custa!'. Aham, concordo. Ótimo se você trabalha pacas e pode dar um sentido para o seu dinheiro. Todos nós devemos nos recompensar sempre que possível. Longe de mim dizer que jamais comprarei algo assim. Entretanto, o x da questão é avaliarmos nossas reais necessidades de tal bem de consumo. Na verdade, vivemos a 'Era do Mal do Consumo', no qual compramos mais pelo status de ter, desprezamos o usar e nem lembramos do ser. Então, geralmente, as pessoas se resumem ao que têm, materialmente, mas são meros itens de R$ 1,99. Vazios, descartáveis e pura embalagem. Ah, sim, não sou hipócrita: eu também gosto de comprar. Adoro roupa, maquiagem, brincos, livros, etc. Sou ainda pouco ligada em novas tecnologias também, mas, mês passado, resolvi trocar de celular. O meu estava velhinho e o meu primo queria comprá-lo. Aproveitei o embalo e confesso que comprei um cheio de 'fru-fru', com touchscreen e 753 funções das quais nunca utilizarei, mas estava suuuuuuuuper barato (na promoção e com frete grátis) e a câmera é boa (era exatamente disso que precisava), então a compra valeu a pena. A busca deve ser pelo equilíbrio: não estagnar, não ser consumista e não esquecer de ser alguém precioso.

... ah, a mocinha da tal loja me encontrou no supermercado dias depois. Me avisou que a bolsa está com desconto. Talvez, um dia, eu passe lá. Lembrei que as koisas mais importantes do mundo, não são koisas.

Bom fim de semana e beijos coloridos no coração.
Ká.

4 comentários:

  1. rsrs.

    Às vezes merecemos algumas extravagâncias.

    ÀS VEZES!!!

    Consumir d+ não faz muito bem nem para nós, e nem para o planeta. (Acredito eu).

    Beijos Kaká!!

    ResponderExcluir
  2. Penso igualzinho à você. Uma bolsa pelo preço de uma passagem de avião? Quase um salário? Não, obrigada!!


    Beijos

    ResponderExcluir
  3. "as koisas mais importantes do mundo, não são koisas."seria uma boa frase de abertura do blog...

    pra variar um pouco, achei o máximo essa postagem tbm... gosto do seu jeito de escrever, me faz sentir em casa, a vontade, saca?

    *saudades suas... como anda tudo por aí?

    besos.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Deixe suas Koisas aqui também... obrigada pela visita!